"O sertão vai virar mar e o mar virar sertão"...


Escolhi Antônio Conselheiro, pois julgo que foi um homem de muita sabedoria, um visionário e com certeza com essa citação profetizou o nosso presente. Obviamente que vou me restringir ao fenômeno musical, porém, o sábio observará que minhas considerações abrangem não só a música como também o nosso cotidiano.
Quando pequeno todos os dias, ao ir à escola primária, saindo de casa, tinha que pedir a benção de minha mãe. Talvez fizesse isso não por que era um garoto muito cristão, mais era um hábito sadio, que no fundo não achava que ia influenciar em alguma coisa, mais o fazei por que fazia parte de nossa tradição cristã.
Hoje depois de muitos anos, começo a ver que todos os hábitos e tradições estão fatalmente se extinguindo, estamos de fato tomando as coisas CERTAS por ERRADAS e ERRADAS por CERTAS. Tudo está se invertendo, o que NÃO PODIA agora pode e o que PODIA cai no descrédito, pelo simples fato de ser careta.
Não estou aqui para julgar o que é certo ou errado, pois sei que esta questão depende do que é mais conveniente à nossa espécie humana que é naturalmente egoísta.
Pois bem, há muitos séculos atrás, a música tinha um papel muito importante perante a sociedade, era utilizada por povos, ditos, não civilizados para manipulação dos seus. É sabido por quem já estudou história da música que, povos como os de Espartas e Atenas, exemplificam essa questão histórica.
O fato é que a música já foi usada para o BEM e o MAL, um termo polêmico para o que vou descrever agora.
AS GRAVADORAS DO BRASIL ESTÃO TENTANDO NOS MOLDAR DE IDIOTAS SEM CULTURA.
Acredite, quantas vezes se perguntou: como esses caras conseguem vender esse lixo?
Essa resposta é simples, criando um povo sem cultura, desestimulando o intelecto das pessoas, vendendo coisas banais, vendendo o ridículo por que dá ibope.
Estão nos infectando com a ignorância, com coisas fúteis e desnecessárias isso é um jogo de PODER e poucas pessoas veem isso.
Temos muitos músicos de qualidade no Brasil, porém a mídia valoriza a música que conduz o ouvinte. E claro estimulando o Carpem Die Negro, viver a vida a qualquer custo, porém estimulando o uso de drogas lícitas e práticas sexuais duvidosas.
O negócio esta tão sério que existem pessoas que defendem tudo isso com unhas e dentes, e não perdem um capítulo de novela, e ainda acreditam que estão pensando por si, porém só fazem parte do um senso comum.
Se você acha que isso é normal, tudo bem, só não reclame quando você for vítima, de alguma forma, desse novo costume.
Você que é músico aprenda a ouvir, aprenda a compor. Faça de sua música uma arma em favor de uma sociedade melhor, não jogue um jogo que você sabe que vai perder, de um jeito ou de outro. Principalmente de outro.

O meu Sairé by Fabricio Figueira


Singela homenagem a Santarém-PA

Mais um video...

Uma versão da canção "Adeste Fideles" aos som do trompete...